Histórias de uma moça bem-comportada

Há 200 anos, morria Jane Austen. Solteirona, provinciana, muito mais do que uma contadora de histórias de amor bonitinhas, ela deixou observações perspicazes e ferinas sobre a vida de pequenos e grandes proprietários de terras, aristocratas ou não, no início do século XIX, na Inglaterra. 

Mudanças físicas, orgânicas, culturais

amarverbointransitivoDesafio às alergias, arrumar livros para mudanças – de casa, de vida, de estantes – propicia um doce encontro com momentos vividos, porém nem recordados. Antes de dar um novo destino à velha edição de Amar, verbo intransitivo (ganhei o box da Nova Fronteira que tem ainda Macunaíma e Contos Novos, e sai tudo por R$ 59,90), folheio o volume, que será substituído por um novo, na prateleira. 

Os que fazem 'Marketing'

A confusão feita com os termos da Administração de Marketing faz com que se use o Marketing como sinônimo de Comunicação e vice e versa o que, no final, só atrapalha mais ainda o que já se tornou confuso.

Um pouco além da literatura “feminina”

Há duas semanas saiu o resultado do Prêmio Sesc de Literatura 2017, vencido por José de Almeida Júnior, entre 980 concorrentes na categoria Romance, e João Meirelles Filho, o primeiro dos 813 inscritos na categoria Contos. Um João e um José, dois nomes tão representantivos de nosso povo, ambos filhos, nos nomes que homenageiam os pais. Outros homens. 

A infância de uma leitora

Há quem associe lembranças antigas a brincadeiras do recreio no colégio, a aromas de perfumes, da massinha do Jardim de Infância ou do do preparo de alimentos na cozinha, das viagens de férias. Minhas recordações são pouco sensoriais, quase sempre ligadas à literatura. Minha mãe lendo para mim as histórias em quadrinho no Globo. Meu pai me falando sobre a importância de ler Pavese. Os livros da Condessa de Ségur, de Laura Ingalls Wilder, Monteiro Lobato, a coleção de bolso com as obras de Shakespeare, que ganhei aos 12 anos, as tardes das férias dedicadas à leitura e releitura de novelas policiais e de exemplares do Mistério Magazine.

Os tempos de exclusão e inadequação

Alguns gêneros literários exploram a existência de segredos como elemento indispensável às tramas. A literatura, principalmente a policial, parece ignorar que sob a superfície da vida social existem intimidades preservadas até nos tempos de superexposição da atualidade. Ou apenas reflete a sensação de conhecimento a respeito das complexidades diversas que grupos sociais apresentam.

Assinar este feed RSS