Número de empresas inadimplentes cresce 3,71% em novembro, mostra indicador do SPC Brasil e CNDL

O número de empresas com contas em atraso e registradas nos cadastros de devedores cresceu 3,71% em novembro na comparação com o mesmo mês do ano passado – quando a variação havia sido de 6,80%. Na passagem de outubro para novembro de 2017, sem ajuste sazonal, houve leve crescimento de 0,53%. Os dados são do Indicador de Inadimplência de Pessoa Jurídica calculado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

Ainda há espaço para novos cortes na Selic, avalia SPC Brasil

O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) considera acertada a decisão tomada na noite desta quarta-feira (06/12) de reduzir a taxa Selic em 0,5 pontos percentuais. Com esse novo corte, a taxa básica de juros da economia brasileira diminui de 7,5% para 7,0% ao ano, atingindo uma nova mínima histórica – abaixo dos 7,25% observados entre o final de 2012 e o início de 2013.

 

Ainda há espaço para novos cortes de juros, avalia SPC Brasil

O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) aprova a decisão tomada na noite desta quarta-feira (25/10) de reduzir a taxa Selic em 0,75 pontos percentuais. Com esse novo corte, a taxa básica de juros da economia brasileira diminui para 7,5% ao ano, se aproximando do mínimo histórico de 7,25% que vigorou no início de 2013, quando havia uma maior pressão inflacionária.


Copom se aproxima do fim dos cortes de juros, afirma SPC Brasil

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central diminuiu, nesta quarta-feira (06/09), a Selic de 9,25% para 8,25% ao ano, o menor patamar desde 2013. O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) considera a decisão positiva para potencializar a retomada da economia brasileira.

 

Mesmo com crise econômica, 40% dos brasileiros compram por impulso, mostra SPC Brasil

Quem nunca comprou algo que não precisava e não estava nos planos? Aparentemente um ato inofensivo, isso pode se tornar um problema grande, principalmente em meio à crise econômica que o Brasil ainda está passando. A pesquisa “Uso do Crédito” realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que 37% dos consumidores admitem ter comprado algo de que não precisavam nos últimos 30 dias, devido à facilidade de crédito. Os itens mais comprados por impulso são roupas, calçados e acessórios (14%), perfumes e cosméticos (8%), idas a bares e restaurantes (6%) e smartphones (6%).

Assinar este feed RSS