Índice Nacional da Construção Civil varia 0,58% em junho

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) variou 0,58% em junho, ficando 0,03 ponto percentual (p.p) acima dos 0,55% registrados em maio, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi a segunda alta consecutiva do índice, que em junho atingiu seu maior patamar no ano. O acumulado dos últimos doze meses foi de 4,07%, resultado acima dos 3,87% registrados pelo mesmo indicador em maio. Em junho de 2017 o índice foi 0,38%.

Faturamento do varejo de materiais de construção cresce no 1T18

Estudo realizado pelo Departamento de Economia do Sincomavi, a partir de dados fornecidos pela Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo (Sefaz), mostra que o comércio varejista de materiais de construção da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) viu seu faturamento bruto corrente crescer 3,2% no primeiro trimestre de 2018. A comparação é feita contra o mesmo período do ano anterior. Em números arredondados passou-se de R$ 5,26 bilhões para R$ 5,43 bilhões com as receitas de vendas. “Em valores atualizados para março de 2018, este é o melhor resultado para o acumulado dos três primeiros meses de um ano desde 2015”, ressalta o economista Jaime Vasconcellos.

Indústria de materiais tem avaliações divididas em junho

A ABRAMAT (Associação Brasileira das Indústrias dos Materiais de Construção) divulga nesta terça-feira nova edição de seu estudo do Termômetro. A pesquisa, feita entre associados para determinar o grau de otimismo e pretensões de investimento futuras, aponta para uma expectativa dividida para o desempenho em junho e regular para o sétimo mês do ano. Sendo conduzida no mês que seguiu a greve dos caminhoneiros, a pesquisa aponta para um mês de maio considerado ruim ou muito ruim para 70% das associadas, indicando influência do ocorrido nas vendas ao mercado interno. Outro ponto de destaque é que pela primeira vez desde seu lançamento, a parcela de entrevistados otimista com ações governamentais chegou a 0%.

Indústria da construção em forte retração

Os indicadores de condições atuais e de expectativa da Sondagem da indústria da construção apresentaram forte recuo em maio, sendo que a maioria ficou abaixo dos 50 pontos, segundo dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI). O resultado foi influenciado pelos impactos da paralização do transporte de cargas sobre o setor. A interrupção do fluxo de insumos e produtos provocou queda da atividade, aumento da ociosidade e impactou negativamente a expectativa dos empresários.

Confiança da Construção recua em junho

O Índice de Confiança da Construção (ICST), da Fundação Getulio Vargas, recuou 3,1 pontos, entre maio e junho, para 79,3 pontos , o menor nível desde novembro de 2017 (78,6 pontos).

Varejo de material de construção cria 185 empregos em abril

Os dados do mercado de trabalho formal do comércio varejista de material de construção da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) se mostraram mais favoráveis em abril, segundo estudo realizado pelo Departamento de Economia e Pesquisa do Sincomavi (Sindicato do Comércio Varejista de Material de Construção, Maquinismos Ferragens, Tintas, Louças e Vidros da Grande São Paulo). 

Atividade da construção recua em abril

Os indicadores de nível de atividade e de número de empregados seguem registrando valores abaixo da linha divisória de 50 pontos, o que denota queda da atividade e do emprego, segundo dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Além disso, esses dois indicadores apresentaram as primeiras quedas do ano na passagem de março para abril, o que os afastou ainda mais de um melhor desempenho da atividade e do emprego do setor.

Assinar este feed RSS