Brasil registra 644.079 postos de trabalho em 2019

  •  
Brasil registra 644.079 postos de trabalho em 2019 (Foto:Divulgação) Brasil registra 644.079 postos de trabalho em 2019

De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), o saldo de emprego em 2018 foi de 529.554. Em 2019, o emprego celetista no Brasil apresentou expansão de 21,63% em relação ao ano de 2018, registrando saldo de 644.079 postos de trabalho. Esse resultado decorreu de 16.197.094 admissões e de 15.553.015 desligamentos.

O estoque em dezembro de 2019 contabilizou 39.054.507 vínculos, o que representa uma variação de +1,61% em relação ao estoque do ano anterior, que registrou 38.434.372 vínculos.

Atividades 

No ano de 2019, os dados registraram saldo positivo no nível de emprego nos 8 (oito) setores econômicos. O setor que apresentou maior saldo foi o de Serviços (+382.525), seguido pelo de Comércio (+145.475), Construção Civil (+71.115), Indústria de transformação (+18.341), Agropecuária (+14.366), Serviços Industriais de Utilidade Pública (+6.430), Extrativa Mineral (+5.005) e Administração Pública (+822).

Regiões

No recorte geográfico, verificou-se que em 2019 as 5 (cinco) regiões apresentaram saldo de emprego positivo: Sudeste (+318.219 postos, +1,59%); Sul (+143.273 postos, +2,01%); Nordeste (+76.561 postos, +1,21%); Centro-Oeste (+73.450 postos, +2,30%); e Norte (+32.576 postos, +1,82%).

Salário 

Para o conjunto do território nacional, o salário médio de admissão em 2019 foi de R$1.626,06 e o salário médio de desligamento foi de R$1.791,97. Em termos reais (mediante deflacionamento pelo INPC), houve aumento de +0,63% no salário médio de admissão e aumento de +0,70% no salário médio de desligamento, em comparação ao salário médio do ano anterior.

Trabalho Intermitente 

Em 2019, houve 155.422 admissões e 69.706 desligamentos na modalidade de trabalho intermitente, gerando saldo de 85.716 empregos, envolvendo 14.007 estabelecimentos e 11.021 empresas 16 contratantes. Um total de 4.328 empregados celebrou mais de um contrato na condição de trabalhador intermitente. 

Do ponto de vista setorial, o saldo de emprego na modalidade de trabalho intermitente distribuiu-se por Serviços (+39.716), Comércio (+24.327), Indústria de Transformação (+10.459), Construção Civil (+10.044), Agropecuária (+971), SIUP (+118), Extrativa Mineral (+77) e Administração Pública (+4).

Trabalho em Regime de Tempo Parcial 

Foram registradas 83.974 admissões em regime de tempo parcial e 63.614 desligamentos, gerando saldo de 20.360 empregos, envolvendo 26.184 estabelecimentos e 22.326 empresas contratantes. Um total de 982 empregados celebrou mais de um contrato em regime de tempo parcial. 

Do ponto de vista setorial, o saldo de emprego em regime de tempo parcial distribuiu-se por Serviços (+10.620 postos), Comércio (+7.787), Indústria de Transformação (+1.259), Construção Civil (+424), Administração Pública (+101), Agropecuária (+99), SIUP (+64) e Extrativa Mineral (+6).

(Redação – Investimentos e Notícias)