IGP-M - Índice Geral de Preços do Mercado

  •  
Destaque Índice registrou queda em 2017 Foto: divulgação Índice registrou queda em 2017

Entenda o que é IGP-M e como este índice é calculado.

IGP-M acelera e registra alta de 1,52% em setembro


O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) da Fundação Getulio Vargas (FGV) variou 1,52% em setembro, ante 0,70% no mês anterior. Com este resultado, o índice acumula alta de 8,29% no ano e de 10,04% em 12 meses. Em setembro de 2017, o índice havia subido 0,47% e acumulava queda de 1,45% em 12 meses.


Entre os três componentes do IGP-M, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do índice, acelerou de 1,00% em agosto para 2,19% em setembro. Na análise por estágios de processamento, a taxa do grupo Bens Finais variou 1,00% em setembro, contra -0,12% no mês anterior.

Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) que responde por 30% do IGP-M, variou 0,28% em setembro, ante 0,05% em agosto. Cinco das oito classes de despesa componentes do índice registraram avanço em suas taxas de variação.

E por fim, com os 10% restantes do IGP-M, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 0,17% em setembro, contra 0,30% em agosto.

Veja a seguir o histórico do IGP-M mês a mês.

Série histórica do IGP-M

Acompanhar as variações do IGP-M é fundamental para compreender as movimentações gerais do mercado. Além disso, esse índice justifica sua relevância por ser utilizado para correção de valores de contratos de aluguel, tarifas de energia elétrica e até mesmo investimentos em títulos públicos.

Confira abaixo a série histórica do IGP-M nos últimos 12 meses:

IGP-M - Índice Geral de Preços do Mercado
Mês/ano  Valor (%) Acumulado ano (%) Acumulado 12 meses (%)
Set/2018 1,52 8,29 10,04
Ago/2018 0,70 6,66 8,89
Jul/2018 0,51 5,92 8,24
Jun/2018 1,87 5,39 6,92
Mai/2018 1,38 3,45 4,26
Abr/2018 0,57 2,05 1,89
Mar/2018 0,64 1,47 0,20
Fev/2018 0,07 0,83 -0,42
Jan/2018 0,76 0,76 -0,41
Dez/2017 0,89 -0,53 -0,53
Nov/2017 0,52 -1,40 -0,86
Out/2017 0,20 -1,91 -1,41
Set/2017 0,47 -2,10 -1,45
Ago/2017 0,10 -2,56 -1,71
Jul/2017 -0,72 -2,65 -1,66
Jun/2017 -0,67 -1,95 -0,78
Mai/2017 -0,93 -1,30 1,57
Abr/2017  -1,10 -0,38 3,37 
Mar/2017  0,01  0,73  4,86
Fev/2017  0,08  0,72  5,38 
Jan/2017  0,64  0,64  6,65 
Dez/2016 0,54 7,19  7,19 

Fonte: FGV

O que é IGP-M?

Criado no fim da década de 1940, o Índice Geral de Preços surgiu como uma medida que pudesse englobar o movimento de preços do mercado de forma geral. Levando em consideração não apenas diferentes atividades, como também etapas distintas do processo produtivo, este índice funciona como um indicador mensal do nível de atividade econômica no País.

Além disso, quando foi criado, este índice também foi pensado para servir como referência para correção de alguns títulos públicos emitidos pelo Tesouro Nacional e também de Depósitos Bancários com renda pós fixada acima de um ano.

Para definir a oscilação do IGP-M em determinado período, a Fundação Getúlio Vargas (FGV), responsável pelo índice, monitora os preços de produtos que fazem parte da rotina dos brasileiros. Itens como alimentação, transporte, aluguel, empregada doméstica, educação, vestuário, material de construção, remédios, bebidas, lazer e outras despesas, como cartório e correios, são avaliados.

Com os valores desses produtos e serviços em mãos, é possível verificar se o IGP-M subiu ou caiu. Ou seja, quanto mais elevado o preço desses itens, mais o indicador sobe.

O índice é bastante conhecido por quem lida ou já lidou com imóveis alugados. O IGP-M é a referência na hora de definir ou reajustar valores de contratos de aluguel. No caso dos reajustes, feitos anualmente, é levado em consideração o acumulado do ano que passou. Nas transações de venda de um imóvel, o IGP-M só é usado na correção quando as parcelas se referem a unidades que já estão prontas.

Além dos contratos de aluguéis, este índice também costuma ser utilizado para a correção de:

- Energia elétrica

- Escolas e universidades

- Seguros

- Planos de saúde

Uma finalidade do IGP-M que muitas pessoas desconhecem é seu uso como referência para títulos de investimento. No Tesouro Direto, programa ligado ao governo federal em parceria com a Bolsa de Valores brasileira, existe um tipo de título pós-fixado indexado ao IGP-M.

Nesse caso, quem adquire esses títulos terá seus rendimentos diretamente influenciados pela oscilação do índice. Mas, por ser pós-fixado, não é possível saber antecipadamente qual será o retorno do investimento.

Outra questão importante é que, além do IGP-M, existe o IGP-DI e o IGP-10. Eles se diferenciam pelo período de referência. No caso do IGP-10, o período de análise vai do dia 11 do mês anterior ao dia 10 do mês atual. O IGP-DI é coletado do primeiro ao último dia do mês e o IGP-M compreende os dias 21 do mês anterior até o dia 20 do mês seguinte.

Com relação às suas funções, o IGP tem três principais funções:

1) Ser um indicador macroeconômico, representando a evolução de preços.

2) Ser um deflator de valores nominais.

3) Ser referência para a correção de preços e valores contratuais, como aluguel, por exemplo.

Para calcular o IGP-M, é necessário fazer uma média aritmética ponderada dos seguintes índices de preços:

- Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), responsável por 60%

- Índice de Preços ao Consumidor (IPC), responsável por 30%

- Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), responsável por 10%

É importante pontuar que, assim como o IGP-M, existem outros indicadores macroeconômicos muito importantes para o País. É o caso, por exemplo, do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), medido pelo IBGE.

Resumo: ficha técnica do IGP-M

Para resumir as principais características desse índice, veja abaixo uma ficha técnica sobre o IGP-M:

- Para que ele serve?

Indicador macroeconômico, deflator de valores monetários e indexador de contratos.

- Qual é sua abrangência?

Os três modelos, IGP-M, IGP-DI e IGP-10, têm abrangência nacional.

- Quais setores são incluídos em seu cálculo?

Seu cálculo é bem abrangente e engloba os setores de Agricultura, Comércio Varejista, Construção Civil, Indústria e Serviços.

- Quando as informações são coletadas?

Cada versão do IGP tem um período de coleta diferente. No caso do IGP-M, a coleta de dados acontece entre os dias 21 do mês anterior até o dia 20 do mês seguinte.

- Quem é responsável pela apuração deste índice?

O IGP-M é elaborado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

- Qual é a periodicidade do índice?

A atualização dos valores do IGP-M é mensal.

Para conhecer outros índices fundamentais para a economia brasileira, veja também:

IGP-DI