IPCA em janeiro deve desacelerar, aponta MUFG

  •  
IPCA em janeiro deve desacelerar, aponta MUFG Foto: Divulgação

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta sexta-feira, 10, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de dezembro e do acumulado de 2019. Segundo o IBGE, o IPCA de dezembro subiu 1,15%, enquanto houve alta de 4,31% durante todo o ano passado.

 

De acordo com a entidade, este foi o maior resultado para um mês de dezembro desde 2002, quando o IPCA ficou em 2,10%. Já no ano, o IPCA ficou em 0,56 p.p. acima dos 3,75% registrados em 2018.

Ainda de acordo com o Instituto, o grupo Alimentação e bebidas foi o principal responsável pela alta, com variação de 3,38%. Novamente o preço das carnes teve grande impacto. Os Transportes também ficaram entre os destaques (1,54%), além das Despesas pessoais (0,92%). No lado das quedas, a maior contribuição negativa veio da Habitação (-0,13 p.p.), com variação no índice do mês em -0,82%.

Com isso, o MUFG (Mitsubishi UFJ Financial Group, Inc), holding do Banco MUFG Brasil afirma que o cenário de inflação não muda a visão da holding em termos de política monetária devido às seguintes razões:

- O aumento do preço da carne foi impulsionado por um choque de oferta, ou seja, deve-se observar uma desaceleração gradual da inflação de carne nos próximos meses;

- Os preços livres estão em níveis mais confortáveis que os monitorados e que o IPCA geral.

"Com isso, o IPCA em janeiro de 2020 desacelerará significativamente em meio ao retorno gradual dos preços da carne aos níveis normais e à deflação de roupas (liquidação). Nossa projeção para o IPCA em janeiro é de + 0,35%", afirma o MUFG.

De acordo com a análise, a pressão para aumento pode vir de despesas pessoais devido à alta temporada, que elevam os preços de excursões, hotéis, entre outros. Poderá haver uma pressão adicional vinda dos preços dos combustíveis, devido ao exterior e a taxa de câmbio.

Além disso, as matrículas escolares terão impacto na inflação em fevereiro. Para todo o ano de 2020, o IPCA deverá acumular 4%, em linha com a meta.

(Redação - Investimentos e Notícias)