Dia das Mães não vai impactar faturamento do varejo

Outrora uma das datas mais importantes para o varejo paulista, o Dia das Mães não terá impacto significativo no desempenho do setor neste ano, segundo um estudo feito pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) que projeta crescimento tímido de 2,5% no faturamento deste mês em comparação a maio de 2020 — quando, ao contrário, os varejistas viram suas receitas caírem a um dos menores níveis da história (-13,3%). Essa alta, na verdade, será motivada principalmente pela demanda por materiais de construção, cujas lojas devem faturar 22,8% a mais do que em maio do ano passado.

Otimismo dos empresários paulistas desaba

Em meio ao agravamento da pandemia de covid-19 e das consequentes incertezas econômicas, o otimismo dos empresários paulistas sofreu uma queda contundente. O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) caiu 9% em abril, atingindo 89,6 pontos – menor patamar desde setembro do ano passado –, enquanto o Índice de Expansão do Comércio (IEC), que mede a propensão do empresariado a investir, registrou queda de 7,6%, saindo de 91,6 pontos, em março, para 84,6 agora, também o menor nível em sete meses.

Confiança do comércio sobe 11,6 pontos em abril

O Índice de Confiança do Comércio (ICOM) subiu 11,6 pontos em abril, ao passar de 72,5 para 84,1 pontos, recuperando mais da metade da queda de março, segundo dados da Fundação Getulio Vargas (FGV). Em médias móveis trimestrais, o indicador caiu 2,2 pontos, mantendo a tendência de queda pelo sexto mês seguido.

Vendas do comércio caem 7,3% em março

O Indicador de Atividade do Comércio da Serasa Experian revelou que as vendas físicas do comércio brasileiro caíram 7,3% em março de 2021, quando comparadas com o mês anterior. Na análise por segmento, todos registraram quedas ainda maiores do que as marcadas em fevereiro de 2021. O destaque negativo fica com o segmento de Tecidos, Vestuário, Calçados e Acessórios, que caiu 28,7%.

Intenção de consumo das famílias volta a cair em abril

A intenção de consumo dos brasileiros voltou a cair em abril. Apurado mensalmente pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o indicador de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) alcançou o patamar de 70,7 pontos no mês, o menor nível desde novembro de 2020, quando atingiu 69,8 pontos. Após ajuste sazonal, a série apresentou queda mensal de -2,5%, ante recuperação pontual no mês anterior. Além disso, foi o pior mês de abril da série histórica. Em relação ao mesmo período em 2020, houve retração de -26,1%.

Movimento do comércio cai 16,4% em março

O Indicador de Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, recuou 16,4% em março na comparação mensal dessazonalizada, de acordo com dados apurados pela Boa Vista, empresa que aplica inteligência analítica de ponta na transformação de informações para a tomada de decisões em concessão de crédito e negócios em geral. Na avaliação acumulada em 12 meses, o indicador apresenta retração de 7,7%. No mesmo sentido, na comparação com março do ano passado houve queda de 22,9%.

Vendas durante a semana de Páscoa crescem 1,9%

O Indicador da Serasa Experian de Atividade do Comércio – Páscoa mostra que as vendas nacionais no varejo físico cresceram 1,9% durante a semana (29 de março a 4 de abril). A ligeira alta acontece em relação ao índice negativo registrado ano passado (6 a 12 de abril de 2020), o menor de toda a série histórica.

Confiança do comércio volta a despencar

O Índice de Confiança do Comércio (ICOM) da Fundação Getulio Vargas caiu 18,5 pontos em março, ao passar de 91,0 para 72,5 pontos, registrando o menor valor desde maio de 2020 (67,4 pontos). Em médias móveis trimestrais, o indicador caiu 6,4 pontos, mantendo a tendência de queda pelo quinto mês seguido.

Assinar este feed RSS