Indústria e Comércio foram os mais impactados pela greve dos caminhoneiros, aponta FGV

Os efeitos dos 11 dias da greve dos caminhoneiros, ocorrida no final de maio, ainda estão sendo sentidos. Levantamento do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE) apontou que os setores mais impactados em maio pela paralisação foram o Comércio (90,5%) e a Indústria (89,5%), seguidos por Serviços (66%) e Construção (64%). A pesquisa especial das sondagens ouviu empresários e consumidores, que responderam se foram atingidos, e revelaram suas expectativas para o futuro.

 

Economia da Flórida chega a US$ 1 tri e atrai investidores brasileiros

Dados divulgados pela Câmara de Comércio da Flórida registram o expressivo crescimento econômico do estado americano. A soma alcançada supera U$ 1 trilhão de dólares e o crescimento do PIB foi estimado em US$ 2,74 bilhões por dia. Além do potencial turístico que o estado implementa ao longo dos últimos anos, as vantagens para abertura de novos empreendimentos e acolhimento de investimentos são razões que podem justificar este resutado positivo.

 

Governo Central tem menor déficit para maio em três anos

O fim do pagamento de precatórios e o resgate de parcelas do Fundo Soberano fizeram o Governo Central - Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central - registrar o menor déficit para meses de maio em três anos. No mês passado, o déficit primário somou R$ 11,024 bilhões. O valor é o menor para o mês desde 2015. Em relação a maio do ano passado, o déficit caiu 63,5% descontada a inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Ipea prevê crescimento econômico de 1,7% para o Brasil em 2018 e 3% em 2019

A combinação da piora do cenário externo com incertezas sobre o cenário interno levaram o Grupo de Conjuntura do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) a revisar algumas das projeções macroeconômicas para 2018 e 2019. A previsão para o crescimento do produto interno bruto (PIB) – o conjunto das riquezas do país – foi reduzida de 3% para 1,7%, conforme a seção Visão Geral da Carta de Conjuntura nº 39 do Ipea, divulgada nesta quinta-feira, 28, em coletiva de imprensa no Rio de Janeiro.

 

Incerteza da Economia avança em junho

O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br ) da Fundação Getulio Vargas subiu 10,1 pontos entre maio e junho de 2018, para 125,1 pontos, maior nível desde janeiro de 2017 (125,4 pontos). Com o resultado, o indicador manteve-se na região de incerteza elevada (acima de 110 pontos) pelo quarto mês consecutivo.

Atividade econômica abre o segundo trimestre com crescimento

Segundo o Indicador Serasa Experian de Atividade Econômica (PIB Mensal), houve avanço de 0,6% no ritmo dos negócios em abril/18, já efetuados os devidos ajustes sazonais. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, a alta interanual foi de 2,6%. Com estes resultados, a atividade econômica acumulou expansão de 1,6% nos primeiros quatro meses de 2018 frente ao mesmo período do ano passado. 

Assinar este feed RSS