Educação financeira do brasileiro fica estável em dois anos

A crise no cenário econômico e político, que perdurou nos últimos três anos no país, não teve impacto na nota de educação financeira dos brasileiros em 2017. Segundo a 4ª edição do Indicador de Educação Financeira (INDEF) da Serasa Experian, na escala de 0 a 10, a nota média da população ficou em 6,2, a mesma identificada no índice anterior - realizado em 2015. Para chegar no resultado final, o único indicador do país a ter uma metodologia para conhecer e acompanhar a educação financeira, considera os três subíndices: Conhecimento, Atitude e Comportamento.

Poupar é hábito pouco frequente mesmo entre os brasileiros de maior renda, revela indicador do SPC Brasil e CNDL

Guardar dinheiro todos os meses não é um hábito que faz parte da disciplina do consumidor brasileiro. Nem mesmo entre aqueles que possuem renda maior. Dados do Indicador Mensal de Reserva Financeira apurado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) revelam que em cada dez brasileiros com renda superior a cinco salários mínimos (R$ 4.690), apenas três (30%) conseguiram encerrar o último mês de novembro com sobras de dinheiro. No total, 66% das pessoas que fazem parte das classes A e B não foram capazes de guardar nenhuma parte de seus rendimentos. Quatro por cento não sabem ou não responderam.

Fatores que influenciam na compra e venda de um imóvel

Com o mercado imobiliário enfrentando um período não tão bom quanto em tempos atrás, a oferta de imóveis se mantém acima da procura o que não privilegia muito o lado do vendedor. Para se diferenciar nesse contexto e atrair a atenção do consumidor, sai na frente o vendedor que se atem a pequenos detalhes que podem ajudar quando da negociação com um possível comprador. Para quem vai comprar, esses fatores fazem muita diferença na escolha entre as diversas opções disponíveis no mercado e podem ser levadas em consideração para se conseguir possíveis descontos.

Assinar este feed RSS