Indicadores mostram evolução mais positiva, diz ata do Copom

No cenário externo, novos estímulos fiscais em alguns países desenvolvidos, unidos ao avanço da implementação dos programas de imunização contra a Covid-19, devem promover uma recuperação mais robusta da atividade ao longo do ano, mostra ata do Copom divulgada nesta terça-feira, 11. A presença de ociosidade, assim como a comunicação dos principais bancos centrais, sugere que os estímulos monetários terão longa duração. Contudo, questionamentos dos mercados a respeito de riscos inflacionários nessas economias podem tornar o ambiente desafiador para países emergentes.

Selic não traz prejuízo ao mercado imobiliário, diz Abrainc

A Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias) considera que a decisão de hoje, 17/3, do Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central de aumentar a taxa básica de juros (Selic) de 2% para 2,75% ao ano não traz prejuízos ao processo de retomada do mercado imobiliário, que vem ocorrendo desde o segundo semestre do ano passado, após ter sofrido um impacto inicial por conta da pandemia.

Banco Central Europeu mantém taxas de juros inalteradas

O Conselho do Banco Central Europeu (BCE) decidiu confirmar a decisão de política monetária. Primeiro, a taxa de juro aplicável às operações principais de refinanciamento e as taxas de juros aplicáveis à facilidade permanente de cedência de liquidez e à facilidade permanente de depósito permanecerão inalteradas em 0,00%, 0,25% e -0,50%, respetivamente.

BC mantém taxa básica de juros em 2,00% ao ano

O Banco Central anunciou hoje, 20, que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu, por unanimidade, manter a taxa básica de juros em 2,00% a.a. O Comitê entende que essa decisão reflete seu cenário básico e um balanço de riscos.

  • Publicado em Economia
Assinar este feed RSS