Carteira recomendada da Toro Investimentos para novembro

  •  
Carteira recomendada da Toro Investimentos para novembro (Foto: Pexels) Carteira recomendada da Toro Investimentos para novembro

O mês de outubro foi marcado por fortes oscilações no mercado, o Ibovespa fechou o mês com forte alta de 10,19%, precificando o novo governo de Jair Bolsonaro. Confirmada a previsão, o nome do próximo presidente agrada o mercado financeiro. Defensor de uma economia mais liberal e propondo uma agenda com reformas importantes já no inicio de seu governo, como a da Previdência e a tributária, o novo presidente sinaliza para um governo como maior austeridade nas contas públicas. Nesse cenário, a performance da carteira recomendada da Toro Investimentos superou seu benchmark com folgas, confirmando as análises e preferências pelas empresas estatais no mês que passou. A carteira livre rentabilizou 23,10%, mais que o dobro do Ibovespa, e a carteira protegida rentabilizou 14,60%.

Para esse mês, os analistas da Toro Investimentos acreditam na continuidade da tendência de alta, porém em menor intensidade. As expectativas em relação a equipe econômica e os possíveis ministros devem ser acompanhadas de perto pelos investidores nesse período de transição de governo e podem dar o ritmo da oscilação da bolsa até o final do ano. A recomendação para o mês de novembro é mesclar a carteira com ativos que caíram forte no curto espaço de tempo e devem recuperar no curto prazo e ativos que estão em clara tendência de alta acompanhando o Ibovespa.

Empresas

A Lojas Americanas é destaque no setor de varejo e consumo que deve continuar na tendência de alta de curto prazo. O ativo está rompendo a zona de resistência de R$18,80, que, se consolidado, pode abrir espaço para buscar o patamar de R$21,90. Na ponta contrária, o suporte em R$16,80 é a região de defesa dos compradores, que se for perdido, pode reverter a tendência de alta e provavelmente provocar novas quedas.

As ações da empresa IRB Brasil sem dúvida são uma preferência dos investidores na Bolsa e a forte valorização dos últimos meses reforçam a qualidade da empresa. Essa tendência de alta deve continuar se o ativo romper a região de resistência de R$72,80, provocando novo fluxo comprador. A região de suporte fica bem representada na faixa de preço em R$66,50.

A Qualicorp caiu forte no curto prazo diante de notícias que não agradaram o mercado. Essa queda foi exagerada quando olhamos a performance da empresa em termos de entrega de resultados. O patamar de preço em R$15,00, se rompido, deve provocar entrada de novos compradores e projeta objetivo na região de R$17,10. O suporte é marcado pelo fundo formado em R$11,00.

A Petrobras foi destaque da bolsa em rentabilidade no mês de outubro e deverá continuar em tendência de alta. Rompeu a resistência da região de R$27,00 e vem negociando com volume acima da média. A região de suporte se consolida próximo a R$25,00, ponto de forte presença de compradores. A tendência de alta pode seguir nos próximos meses e o ativo pode valorizar
para patamares acima de R$30,00.

Notícias podem trazer volatilidade para as ações de JBS. Ativo rompeu uma região de resistência antiga na faixa de R$10,00 e provavelmente pode buscar novas regiões de preços em R$12,50. O suporte fica na região de R$9,50, que, se for perdido, pode reverter a tendência de alta do papel.

(Redação – Investimentos e Notícias)