Expectativa de juros baixos valoriza títulos públicos, aponta ANBIMA

  •  
Expectativa de juros baixos valoriza títulos públicos, aponta ANBIMA Foto: Divulgação

Os títulos públicos federais tiveram valorização em outubro, graças às expectativas do mercado de que os juros sejam mantidos em patamares baixos pelos próximos meses. Esses papéis tiveram rentabilidade média de 1,72% no mês e de 12,62% no acumulado do ano.

Eles são representados pelo IMA-Geral, o Índice de Mercado ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais).

'A aprovação da Reforma da Previdência no Senado, a nova redução na Selic e as previsões de mais um corte até o encerramento do ano impulsionaram a alta dos ativos no último mês', afirma Hilton Notini, gerente de Preços e Índices da ANBIMA. 'Com as expectativas de juros baixos por mais tempo, os papéis com prazos maiores de vencimento tiveram os maiores retornos', completa.

Além disso, o IMA-B5+, que reflete as NTN-Bs com mais de cinco anos, e o IRF-M1+, que acompanha papéis pré-fixados com mais de um ano, cresceram 4,67% e 2,22%, respectivamente. Esses são os subíndices que representam títulos mais longos. Eles tiveram as maiores altas de outubro. Já no acumulado de 2019, os retornos médios foram de 32,45% e 14,38%.

De acordo com a ANBIMA, os demais subíndices também registraram variações positivas em outubro. O IMA-B5, que reflete as NTN-Bs até cinco anos, e o IRF-M1, que retrata os ativos pré-fixados de até um ano, avançaram 1,65% e 0,62% no mês e 12,09% e 5,96% no ano.

Enquanto isso, o IMA-S, que segue a trajetória da Selic com os papéis pós-fixados, obteve crescimento de 0,48% em outubro e de 5,19% em 2019.

O IDA-Geral (Índice de Debêntures ANBIMA), que acompanha os títulos corporativos, apresentou em outubro retorno de 0,46%.

O destaque no mês fica por conta do IDA-IPCA ex-infraestrutura, que reflete os papéis atrelados ao IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). Segundo a entidade, a variação do índice foi de 2,20% no mês, acumulando 13,9% no ano - a melhor performance entre os subíndices do IDA.

(Redação - Investimentos e Notícias)