EBITDA da ALIANSCE cresce 10,3% no 3T18

  •  
EBITDA da ALIANSCE cresce 10,3% no 3T18 Foto: Divulgação

A Aliansce Shopping Centers S.A. (B3: ALSC3), uma das maiores proprietárias e administradoras de shopping centers do Brasil, anunciou hoje seus resultados do 3T18.

Segundo a empresa, os destaques do 3T18 foram as vendas totais que cresceram 4,5%, totalizando R$1,4 bilhão no 3T18, com alta de 3,9% em vendas/m². As vendas mesmas lojas (SSS) registraram aumento de 2,1%.

O aluguel mesmas lojas (SSR) e aluguel mesmas áreas (SAR) cresceram 3,8% e 3,6%, respectivamente. Receita de locação subiu 3,5% yoy.

O EBITDA expandiu 10,3%. Enquanto os menores custos operacionais e PDD contribuíram para o EBITDA de R$96,6 milhões, com margem de 73,5% - a maior para um 3º trimestre desde 3T15.

o AFFO teve crescimento de 18,6%. Melhor performance operacional e renegociações de dívidas geraram AFFO de R$51,0 milhões, com margem de 38,2% - a maior para um 3º trimestre desde 3T13.

Foram emitidas R$245 milhões em debêntures, a 110% do CDI, clean, com vencimento em 5 anos e rating AA. A dívida está 50,4% indexada ao CDI.

Os custos com PDD e descontos pós-faturamento caíram 25,5% e R$3,1 milhões, respectivamente, com inadimplência líquida em 1,7% e 2,5% em LTM.

A taxa de ocupação atingiu 96,8%. Nos últimos 12 meses, 478 lojas foram comercializadas, +9,9% yoy, aumentando a taxa de ocupação em 70 bps vs. 2T18.

Desinvestimento: A venda da Boulevard Corporate Tower em Belo Horizonte por R$190 milhões (R$9,302/m²) para o Kinea (FII), com pagamento em 3 etapas previstas para 4T18, 1T19 e 1T22.

De acordo com o management da Companhia, a Aliansce começou a apresentar uma recuperação mais consistente no fluxo de visitantes e nas vendas. A demanda por áreas segue forte, evidenciada pelo expressivo ritmo de comercialização no trimestre. A Companhia gerou ganhos operacionais importantes com crescimento de receita e esforços contínuos de redução de custos. A bem-sucedida emissão de debêntures marcou a entrada da Aliansce no mercado corporativo de dívida, e a Companhia segue focada na eficiência corporativa e na busca de oportunidades de crescimento futuro.

(Redação - Investimentos e Notícias)