Fusões e aquisições têm o pior trimestre dos últimos 7 anos

  •  
Fusões e aquisições têm o pior trimestre dos últimos 7 anos (Foto:Divulgação) Fusões e aquisições têm o pior trimestre dos últimos 7 anos

Com 380 operações concretizadas nos primeiros seis meses deste ano, o número de fusões e aquisições registrou uma queda de 5% se comparado ao desempenho do mesmo período do ano passado. De acordo com o levantamento, no período entre abril e junho, foram registradas 170 transações, o pior segundo trimestre desde 2009. Os dados constam em pesquisa realizada trimestralmente pela KPMG no Brasil.

“O que pesa no resultado é que o segundo trimestre deste ano foi especialmente abaixo do normal, o que foi determinante para que o semestre todo fechasse em queda”, analisa o sócio da KPMG no Brasil e responsável pelo estudo, Luis Motta. 

Além disso, se comparado ao mesmo período do ano anterior, o segundo trimestre teve uma queda de quase 20%. “Uma negociação de fusão e aquisição leva alguns meses para ser concretizada, por isso o resultado atual foi motivado pelo período de instabilidade que o Brasil passou, o que fez com que os investidores repensassem as estratégias. Os números mostram bem isso. As transações domésticas tiveram uma queda de 19% e as de estrangeiros comprando brasileiros caíram 18% em relação ao ano passado”, explica Motta.

Mais uma vez, o setor de tecnologia de informação foi o grande destaque do período, com 52 transações concretizadas, seguido por empresas de internet, que registrou 42 operações. Serviços para empresas e alimentos, bebidas e tabaco, com 33 cada, tiveram um semestre aquecido. Destaque também para instituições financeiras, com 29 negociações, sendo que 15 delas no segundo trimestre.

(Redação – Agência IN)