ID Logistics Brasil cresce 20% em 2015

  •  
ID Logistics Brasil cresce 20% em 2015 Foto: Divulgação ID Logistics Brasil cresce 20% em 2015

Mesmo diante da crise econômica brasileira e da forte oscilação cambial, a ID Logistics Brasil registrou em 2015 um crescimento de 20% em relação ao ano anterior. De acordo com Marcos Bagnolesi, diretor comercial da empresa, o grupo ID Logistics é um parceiro flexível e engajado em aumentar a produtividade dos clientes, sempre com foco na melhoria da qualidade operacional e redução dos custos logísticos. “Em qualquer tempo, um operador logístico com esse perfil consegue aumentar o portfólio de clientes e ampliar os serviços nas operações já existentes”. A operadora deverá ter o startup de cinco operações ainda no primeiro semestre de 2016.

Segundo Eric Hemar, CEO do Grupo ID Logistics, “a empresa teve um crescimento sólido em 2015, especialmente, na área de e-commerce. O incremento das atividades no 4º trimestre permitiu compensar a alta volatilidade das taxas de câmbio com efeitos desfavoráveis no Brasil, Argentina e Rússia. Continuamos em 2016 com essa forte dinâmica em todos os nossos mercados prioritários, apesar desse ambiente econômico misto em países emergentes”.

CRESCIMENTO DO GRUPO NO 4º TRIMESTRE

Na França, a receita totalizou 138,4 milhões de euros, um aumento de 5,2% a partir do 4º trimestre de 2014. Essa aceleração é explicada pela abertura de novas operações em março de 2015, enquanto preços e volumes permaneceram estáveis. O grande número de propostas de novos clientes continua a ser importante para o sucesso da empresa.

Internacionalmente, a receita foi de 112,1 milhões de euros, um aumento de 8,8% em relação a 2014. Descontado o efeito desfavorável do câmbio no Brasil, Argentina e Rússia, o crescimento orgânico foi de 15,2%.

Nas principais economias emergentes onde o grupo atua, o ambiente tornou-se mais difícil no 4º trimestre, com volumes ligeiramente negativos e as incertezas econômicas e políticas que afetam as atividades e projetos de clientes do Grupo. Na Argentina, este contexto adicionado a uma situação local especial levou um dos seus principais clientes a rescindir as atividades no país. Mas este ambiente também criou novas oportunidades e o empresa pode faturar os seguintes novos contratos:

Na China, na região de Xangai, LianHua, um dos líderes chineses de varejo, confiou ao grupo a gestão de um CD de 20 mil m². Lá ficam concentradas as atividades de produtos refrigerados e congelados, tanto nas operações business to business como business to consumer.

Também na China, o Grupo ID Logistics continuou a acompanhar as operações do Carrefour na integração dos seus fluxos logísticos, em Dongguan, abrindo um armazém de 24 mil m².

Na Rússia, o líder varejista X5 firmou parceria com a ID Logistics para a gestão de uma plataforma de 40 mil m² em Moscou. A previsão é de que essa plataforma chegue a 68 mil m².

Na Europa, as atividades permaneceram aquecidas com volumes estáveis no 4º trimestre.

Um dos principais clientes do Grupo na Espanha confiou a gestão de uma plataforma de 25 mil m² dedicada as suas atividades de e-commerce.

Na Alemanha, em Weilbach, a logística da distribuidora de perfumes e cosméticos Nobilis começou a ser operada pelo Grupo.

PERSPECTIVAS

O Grupo ID Logistics em 2015 registrou um crescimento orgânico gradual, impulsionado, principalmente, pelo início de novas operações. Dado o aumento do ritmo normal característico do aumento de produtividade de novas operações, estes custos deverão incidir automaticamente sobre a margem subjacente anual do Grupo, em comparação com 2014, quando houve número menor de startups.

Em 2016, a ID Logistics continua a processar um grande volume de propostas, apesar da demora na tomada de decisão dos clientes em economias cada vez mais contrastantes do mercado europeu e dos países emergentes onde o Grupo atua. Neste contexto, o Grupo continuará a exercer controle especial sobre os custos de abertura de seus novos sites.

Finalmente, com a redução substancial da sua dívida, a empresa está estudando cuidadosamente as oportunidades de crescimento externo, que irão acelerar o seu desenvolvimento na Europa.

(Redação - Agência IN)