Indicador Antecedente Composto da Economia sobe em setembro

  •  
Indicador Antecedente Composto da Economia sobe em setembro (Foto: Divulgação) Indicador Antecedente Composto da Economia sobe em setembro

O Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE) para o Brasil, divulgado pelo FGV IBRE e pelo The Conference Board (TCB), subiu 1,8% entre agosto e setembro, atingindo 110,0 pontos. Das oito séries componentes, sete contribuíram para a alta do indicador, com destaque para o Índice de Termos de Troca, que variou 3,2%.

O Indicador Coincidente Composto da Economia (ICCE, FGV TCB) do Brasil, que mensura as condições econômicas atuais, subiu 0,3% no mesmo período, para 100,0 pontos. As variações semestrais do ICCE permanecem no terreno positivo pelo oitavo mês consecutivo.

“O IACE e o ICCE, de setembro, refletiram a sequência de resultados favoráveis apontando para a retomada do nível de atividade, inclusive em relação ao desempenho do mercado de trabalho, tradicionalmente um indicador defasado dos períodos de inflexão do ciclo econômico”, afirma Paulo Picchetti, pesquisador do IBRE/FGV. “No entanto, a consolidação desta retomada ainda passa pela reação do nível de investimento, ainda condicionado à redução de importantes incertezas acerca de ajustes necessários nas contas públicas”, diz Picchetti.

O Indicador Antecedente Composto da Economia agrega oito componentes econômicos que medem a atividade econômica no Brasil. Cada um deles vem se mostrando individualmente eficiente em antecipar tendências econômicas. A agregação dos indicadores individuais em um índice composto filtra os chamados “ruídos”, colaborando para que a tendência econômica efetiva seja revelada.

(Redação – Agência IN)