Itaú Private Bank fortalece cobertura internacional com nova mesa de trading

  •  
Itaú Private Bank fortalece cobertura internacional com nova mesa de trading Foto: Divulgação Itaú Private Bank fortalece cobertura internacional com nova mesa de trading

O Itaú Private Bank, a partir de uma posição de liderança no mercado interno, tem se dedicado a diversas frentes na busca de ser o maior private bank para clientes brasileiros aplicarem offshore.

Além de investir US$ 25 milhões em tecnologia, o Itaú reforçou o time de assessores em Zurique e Miami e, agora, estrutura uma nova mesa de operações voltada ao fomento de investimento no mercado externo (offshore). O objetivo da plataforma é permitir aos clientes brasileiros e latinos acesso a ativos estrangeiros de forma mais autônoma, ágil e dinâmica.

“Estruturamos essa mesa adicional para suprir uma demanda que identificamos de uma parte de nossos clientes na prestação de serviços. Acreditamos que esse novo modelo de atendimento funciona melhor quando o operador está próximo do cliente”, afirma Carlos Albertotti, diretor comercial do Itaú Private Bank em Miami. Os serviços são, essencialmente, direcionados a investidores com demandas específicas e qualificadas, familiaridade de mercado e grau de sofisticação alto nas aplicações.

Para conduzir a nova mesa, foram contratados cinco profissionais, sendo quatro egressos do Credit Suisse Bahamas: Gustavo Fraga Abrunhosa, Marcelo Aagesen, Carlos Eduardo Fernandes e Gilmar Oliveira; e um, do UBS Brasil: Alberto Tani. A equipe, que ficará sediada nas Bahamas, se reportará a Roberto Martins, responsável pela área de investimentos internacionais do Itaú Private.

“Identificamos que a grande oportunidade de crescimento do Private é no âmbito internacional. E, diante disso, temos como principal desafio conquistar nossos próprios clientes que ainda não conhecem nosso trabalho offshore”, relata Carlos Constantini, CEO do Itaú USA e chefe da operação internacional do Itaú Private Bank. Atualmente, o Itaú Private Bank estima ocupar o terceiro lugar no mercado externo, com US$ 22 bilhões de ativos sob gestão, o que representa 20% da carteira de private banking do Itaú.

(Redação - Investimentos e Notícias)