Para Banco Central, Brasil vive momento de incentivo à inovação nas fintechs

  •  
Otávio Damaso - Diretor de Regulação do Banco Central Foto: Divulgação Otávio Damaso - Diretor de Regulação do Banco Central

Em debate realizado pela Toro Investimentos, entidade afirma que sistema financeiro vem recebendo instituições seguras para a sociedade

Após movimentar mais de R$ 457 milhões em 2017, segundo dados do Conexão Fintech, as fintechs – empresas tecnológicas direcionadas ao sistema financeiro – estão, cada vez mais, chamando a atenção de órgãos do Sistema Financeiro Nacional. Em evento realizado pela Toro Investimentos, primeira fintech a criar uma corretora de valores do zero, o Diretor de Regulação do Banco Central, Otávio Damaso, destaca que o país vive um período de diálogos digitais e que a sociedade está preparada para repensar suas rotinas monetárias.

Na ocasião, Damaso comentou sobre o papel do Banco Central diante deste cenário. "Nosso papel nesse momento é o de motivar o debate e incentivar a inovação como um todo. Porém, por questões de eficiência e demandas da população, temos que monitorar este processo e garantir que ele seja seguro para todos. Essa é uma missão que a gente não abre mão".

Damaso também afirmou que toda instituição financeira que chega no mercado passa por processos de regulação prudencial e bancária, além de observações e instruções sobre sua conduta. "Hoje, a principal área do Banco Central é a de supervisão e monitoramento de instituições financeiras. Isso permite que a sociedade lide com a diversidade de organizações com segurança".

Facilidades para investir

A primeira edição do Torotech colocou em pauta "O futuro da segurança" e além do Banco Central, o evento contou com a presença de grandes nomes da área financeira e dos principais expoentes do ambiente de fintechs. Discutindo também o papel da população dentro do cenário financeiro, a B3 apontou que um dos desafios da tecnologia é transformar a visão existente da Bolsa de Valores em algo atrativo.

"Estamos com um grande programa direcionado às pessoas físicas, que busca identificar como podemos melhorar os sistemas financeiros e tornar a vida dessas pessoas para o mercado de capitais mais acessível", explicou Eduardo Farias, Diretor de Governança e Gestão Integrada da organização, complementando: "Nós queremos com isso também proporcionar um nível de proteção e segurança aos usuários, sem tornar esse assunto da segurança da informação em algo chato, mas dar a ele a importância necessária para proteger os ativos que estão em negociação".

O Torotech é uma iniciativa própria da Toro Investimentos para fomentar a troca de ideias e enxergar novos caminhos que agreguem valor ao cenário de tecnologia e finanças. A primeira edição aconteceu na última última quinta-feira, 9 de agosto, em Belo Horizonte - onde está a sede da Toro Investimentos.

Também participaram o conselheiro da ABFintechs (Associação Brasileira de Fintechs), José Luiz Rodrigues, o CTO da PROOF, Leonardo Moreira, o CEO da Monetus Daniel Calonge, o CEO da SmarttBot Paulo Gomide, um dos sócios da Araújo Fontes, André Barbosa e Gabriel Kallas, sócio-fundador da Toro Investimentos.

(Redação - Investimentos e Notícias)