Petrobras informa prejuízo de R$ 48,5 bi no 1T20

  •  
Petrobras informa prejuízo de R$ 48,5 bi no 1T20 Foto: Divulgação Petrobras informa prejuízo de R$ 48,5 bi no 1T20

A Petrobras informou na quinta-feira (14) prejuízo de R$ 48,5 bilhões no primeiro trimestre de 2020, principalmente devido ao impairment proveniente da revisão das premissas de longo prazo para o Brent frente ao novo cenário mundial.

Os resultados também foram impactados pela queda do Brent e pelas perdas com variação cambial decorrentes da forte desvalorização do real frente ao dólar.

A receita líquida reduziu 7,7% no 1T20, em comparação ao 4T19 devido à queda do Brent e ao menor volume de venda de derivados no mercado interno, com destaque para diesel, gasolina e QAV. Estes produtos foram os mais afetados pelos impactos das medidas de isolamento social implementadas devido à COVID-19 a partir do mês de março. O diesel, agasolina e o GLP também sofrem efeitos sazonais no período, já que o quarto trimestre apresentou maior atividade industrial e temperaturas menores. As receitas com gas natural caíram 13% devido à queda na demanda e no preço.

O EBITDA Ajustado atingiu R$ 37,5 bilhões no 1T20, um aumento de 2,7% em relação ao 4T19, apesar da redução do Brent. Isto foi possível, principalmente, devido ao aumento das exportações, principalmente de petróleo, com níveis recordes em janeiro e fevereiro, quando a queda no Brent ainda era moderada em relação ao mês de março.

Os resultados também foram impactados pela queda do Brent e pelas perdas com variação cambial decorrentes da forte desvalorização do real frente ao dólar.

A receita líquida reduziu 7,7% no 1T20, em comparação ao 4T19 devido à queda do Brent e ao menor volume de venda de derivados no mercado interno, com destaque para diesel, gasolina e QAV. Estes produtos foram os mais afetados pelos impactos das medidas de isolamento social implementadas devido à COVID-19 a partir do mês de março. O diesel, agasolina e o GLP também sofrem efeitos sazonais no período, já que o quarto trimestre apresentou maior atividade industrial e temperaturas menores. As receitas com gas natural caíram 13% devido à queda na demanda e no preço.

O EBITDA Ajustado atingiu R$ 37,5 bilhões no 1T20, um aumento de 2,7% em relação ao 4T19, apesar da redução do Brent. Isto foi possível, principalmente, devido ao aumento das exportações, principalmente de petróleo, com níveis recordes em janeiro e fevereiro, quando a queda no Brent ainda era moderada em relação ao mês de março.

(Redação - Investimentos e Notícias)