E-commerce fatura R$ 2,2 bi no Dia dos Namorados, aponta Ebit Nielsen

O e-commerce tem motivos de sobra para comemorar com um belo jantar à luz de velas. Após um Dia Namorados fortemente impactado pela greve dos caminhoneiros em 2018, a data este ano faturou 2,2 bilhões de reais, um crescimento nominal de 24% em relação ao mesmo período do ano passado (28 de maio a 11 de junho), de acordo com pesquisa realizada pela Ebit Nielsen, referência em informações sobre o comércio eletrônico brasileiro.

Shoppings preveem 3% a mais nas vendas no Dia dos Namorados

A Associação Brasileira dos Lojistas de shoppings (ALSHOP), entidade que representa os maiores varejistas do País, em parceria com a empresa Real Time Big Data, realizou uma pesquisa interna entre os seus associados e constatou uma previsão de aumento de 3% nas vendas para o Dia dos Namorados, em relação ao ano passado.

 

Vendas do Dia dos Namorados devem crescer de 2% a 3%, aponta ACSP

A Associação Comercial de São Paulo (ACSP) espera um crescimento entre 2% e 3% no movimento de vendas de produtos voltados para o Dia dos Namorados no varejo da capital paulista, em relação ao ano passado. 'Com o baixo crescimento da economia brasileira, a perspectiva é de um aumento moderado das vendas", diz Marcel Solimeo, economista da ACSP.

Confiança do Comércio recua em maio

O Índice de Confiança do Comércio (ICOM) da Fundação Getulio Vargas recuou 5,4 pontos em maio, ao passar de 96,8 para 91,4 pontos, retornando ao mesmo nível de setembro de 2018. Em médias móveis trimestrais, o indicador cedeu 2,9 pontos, terceira queda consecutiva.

Movimento do comércio recua 0,5% em abril, diz Boa Vista

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, recuou 0,5% em abril deste ano contra o mesmo período do ano passado, já descontados os efeitos sazonais, de acordo com dados apurados pela Boa Vista. Na avaliação acumulada em 12 meses, o indicador vem mantendo o ritmo observado desde o início do ano e subiu 1,5% em abril.

Queda na confiança do consumidor abala humor do empresário

A segunda queda consecutiva na confiança do consumidor em abril (-3%) já reflete a tendência de confiança, até então alta, do empresário do comércio (-1,2%), ocasionando uma desaceleração dos investimentos futuros e das contratações de novos funcionários (-2,1%). Para a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), o atual momento é o mais crítico desde agosto de 2018, deixando os comerciantes alertas.

Assinar este feed RSS