Setor público registra déficit primário de R$ 11 bi em maio

O setor público consolidado – governos federal, estaduais e municipais e empresas estatais – registrou, em maio, o pior resultado primário para o mês desde o início da série histórica, iniciada em dezembro de 2001. Foi a primeira vez que o setor público apresentou déficit primário em maio, com resultado negativo em R$ 11,046 bilhões. No mesmo mês de 2013, o setor público registrou superávit primário de R$ 5,681 bilhões.

Governo lança site para estimular acordo entre consumidores e empresas

A partir de hoje (27), os consumidores brasileiros contam com um novo site para tentar resolver impasses criados pela má prestação de serviços. Criado para permitir que reclamantes e empresas reclamadas cheguem a um acordo sem a intervenção do Poder Judiciário, o portal consumidor.gov.br  é diferente de outros sites de reclamações existentes na internet porque permite que o Poder Público elabore e implemente políticas de defesa do consumidor a partir das principais informações disponibilizadas pelos usuários do serviço.

Arrecadação chega a R$ 87 bilhões em maio e registra primeira queda do ano

A arrecadação de impostos e contribuições federais chegou a R$ 87,897 bilhões em maio, em termos nominais. O valor representa queda de 5,95% em comparação ao mesmo período do ano passado, já corrigida pelo IPCA. É o valor mais baixo desde 2011 para meses de maio e a primeira baixa do ano. Os números foram divulgados hoje (27) em Brasília. Nos primeiros cinco meses do ano, a arrecadação ficou em R$ 487, 207 bilhões, crescimento real de 0,31%.

Aumentar recursos não equilibra contas públicas

O caminho para o equilíbrio do orçamento público passa por um dado importante. De 2000 a 2013, a quantidade de beneficiários do governo federal teve um acréscimo de 46,5 milhões. “Esses números adicionam um ingrediente a mais na discussão em torno da nova regra de reajuste do salário mínimo, absolutamente relevante para o equilíbrio do orçamento público”, avalia Gabriel Leal de Barros, pesquisador da área de Economia Aplicada da FGV/IBRE.

Medidas do governo são positivas, afirma Abiplast

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou no final da tarde de quarta-feira (18) novas medidas de política industrial, que vem sendo chamadas de “pacote de bondades”. Entre as principais medidas estão a manutenção do Programa de Sustentação do Investimento (PSI/BNDES), o retorno do Reintegra, as novas diretrizes para o Refis da Crise e a prorrogação do prazo de implementação das regras da Norma Regulamentadora número 12 (NR 12), que trata de segurança do trabalho para máquinas e equipamentos.

Governo amplia para nove meses prazo máximo de trabalho temporário

O Ministério do Trabalho e Emprego vai aumentar o prazo dos contratos temporários de trabalho, autorizando a prorrogação por seis meses além dos três meses iniciais, se justificada essa necessidade. Até então, a prorrogação era limitada a uma única vez de três meses. A medida começa a valer em 1º de julho, de acordo com portaria publicada pelo ministério na última terça-feira (3) no Diário Oficial da União.

Assinar este feed RSS