Reforma da Previdência: aposentadoria abaixo do salário mínimo com capitalização

A nova proposta da reforma da Previdência brasileira deverá ser mais rígida. E a aposentadoria poderá ficar abaixo do salário mínimo, com as novas regras da capitalização. O atual ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o novo texto a ser enviado ao Congresso Nacional em fevereiro vai incluir um regime de capitalização. O novo modelo prevê que cada pessoa é responsável por acumular sua própria reserva para a aposentadoria e será válido para quem vai entrar no mercado de trabalho. Hoje, o regime é de repartição, os mais jovens contribuem para a aposentadoria das gerações futuras e no qual há um teto para o benefício. Para quem não conseguir poupar, o governo garantiria uma renda mínima, menor do que o salário mínimo e maior do que o Bolsa Família.

Receita da Capitalização cresce 2,26% no Sudeste

De acordo com os dados divulgados pela Federação Nacional de Capitalização (FenaCap), entre os meses de janeiro a outubro, a Região Sudeste registrou crescimento de 2,26% na receita de títulos de capitalização, totalizando R$10,1 bilhões. Ainda segundo a pesquisa da federação, os estados São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo distribuíram R$414,7 milhões de prêmios em sorteios a clientes da Região. Quanto aos resgates finais e antecipados, houve, no período, recuo de 4,45%, seguindo tendência nacional (4,1% de queda), o que revela um consumidor mais cauteloso diante das incertezas ainda presentes na economia.

Capitalização fatura R$ 8,6 bi em cinco meses

Nos cinco primeiros meses do ano, as 17 empresas representadas pela Federação Nacional de Capitalização (FenaCap), faturaram, juntas, R$ 8,6 bilhões. Em comparação ao ao mesmo período do ano passado, o montante representa um crescimento de 8,1%, num universo de 17 milhões de clientes com títulos ativos.

Prêmios da capitalização atingem R$ 918,2 milhões

De acordo com os dados da FenaCap - Federação Nacional de Capitalização, entre janeiro e outubro, o segmento distribuiu R$ 918,2 milhões em prêmios. Apesar da queda de 3% em relação ao mesmo período do ano passado, o volume de prêmios pagos por dia útil segue relevante, R$ 4,4 milhões distribuídos a clientes sorteados em todo o país.

Capitalização distribuiu mais de R$ 391 milhões em prêmios

Segundo dados da Federação Nacional de Capitalização (FenaCap), entre os meses de janeiro e abril, as empresas que comercializam títulos de capitalização distribuíram para seus clientes R$ 391,7 milhões em prêmios, o que representa um crescimento de 28,6% em relação ao mesmo período de 2015.

Sorteios de capitalização pagam R$ 315 milhões no 1T16

O segmento de capitalização no país registrou no primeiro trimestre de 2016 um crescimento de 39,2% na distribuição de prêmios em relação a igual período do ano anterior, alcançando R$ 315 milhões, entregues a clientes sorteados de todo país. O valor corresponde ao pagamento de R$ 5,1 milhões em prêmios por dia útil nos três primeiros meses do ano.

Capitalização distribui R$ 135 milhões em prêmios no primeiro bimestre

As 17 empresas que integram a Federação Nacional de Capitalização (FenaCap) distribuíram juntas, até o mês de fevereiro, mais de R$ 135 milhões em prêmios para clientes de títulos de capitalização de todo o Brasil. O montante representa um crescimento de 47,2% em relação ao mesmo período de 2015 e equivale à entrega de R$ 5 milhões em prêmios por dia útil do período.

Reservas da Capitalização atingem R$ 31 bilhões

Entre janeiro e novembro de 2015, o volume de recursos que retornou para a sociedade sob a forma de resgates de títulos de capitalização alcançou R$ 15,6 bilhões, um avanço de 13,84% em relação a igual período do ano anterior. 

Assinar este feed RSS